Vitória do futuro

"Vencer no presente, projectando o futuro."

Pausa

É com enorme tristeza que venho comunicar uma pausa por tempo indeterminado no blog. O tempo que um blog desta natureza exige não é compatível com a minha vida profissional. Por isso quem nos quiser continuar a acompanhar pode ler as crónicas quinzenais no site http://www.vitoriagrande.org. Obrigado por terem acompanhado o blog e estamos em campo para poder voltar com mais gente e noutros moldes.

Anúncios

Estatísticas: Leiria 0-1 Vitória

Valeu 3 pontos… E só isso!

Melhor do que ler, é ouvir as palavras de Manuel Machado. Penso que não é por ele que a equipa está a jogar tão fraco futebol. Pelo menos nas substituições tudo fez para dar um pendor mais ofensivo à equipa, assim como, mais qualidade técnica. O que é certo é que a equipa se retraiu e valeram os 3 pontos, mas só isso.

Positivo

Nilson. Mais uma vez foi ele o maior responsável pela conquista dos 3 pontos. O que seria desta equipa se não tivéssemos o melhor guarda-redes do campeonato?

João Alves. Um golo que valeu 3 pontos, por sinal foi um golaço. De resto, foi incansável no trabalho defensivo o que faz dele um dos homens do jogo.

Negativo

Jorge Ribeiro. Nem se viu no jogo e por isso leva sinal negativo.

João Pedro. Tem qualidade isso já se viu, mas entrar para fazer duas faltas extremamente perigosas… De resto nem se viu em campo.

Obrigatório Vencer

Faltam poucas horas para aquele que será um dos jogos mais decisivos da época. O resultado de hoje ditará se o Vitória tem estofo ou não para aguentar o 4º lugar. Um resultado positivo aumentará a distância pontual para o adversário que se encontra logo atrás e no minímo manterá distâncias para os mais directos adversários. A ver vamos o que vai dar.

O Vitória deverá jogar da seguinte forma:

Nilson, Alex, Bruno Teles, N’Diaye, João Paulo, Renan, João Pedro, Jorge Ribeiro, Faouzi e Edgar.

Menos um…

Soube-se hoje que Ricardo vai ficar com os olhos em bico e parte de imediato para a China, para representar o campeão nacional daquele país. Para o jogador, que já conta com 30 anos, será uma excelente oportunidade a nível monetário e assim poder ter um final de carreira mais desafogado. Para o Vitória o negócio, segundo a imprensa, rendeu cerca de 700 mil euros. Nunca o Vitória fez tanto dinheiro numa época como esta, mas os problemas financeiros continuam. Nós por cá ficamos sem perceber esta venda. Numa altura que o clube quer cimentar o 4º lugar e tem todas as possibilidades de chegar à final da taça e tentar vencê-la, não se percebe como é que se vende nesta altura o defesa central indiscutível na equipa. Se a meio da época é assim no final como será? Já estou a perspectivar que no próximo ano teremos que comprar outra vez uma equipa nova. Mais uma vez vislumbro um contentor de brasileiros a chegar à cidade berço. A ver vamos…

Estatísticas: Benfica 3-0 Vitória

Resumo: Benfica 3-0 Vitória (Sídnei, Aimar e Carlos Martins)

No fundo o resultado até foi bom

Não vou escrever grande coisa sobre o jogo. Sobretudo porque julgo que poderíamos ter levado uma goleada histórica na luz. Fomos massacrados nos primeiros 45 minutos e nos segundos andamos lá perto. Ainda assim poderíamos numa ocasião ter reduzido o resultado e quem sabe o jogo a partir daí poderia ser diferente. É pena termos um ponta de lança que só marca um golo de 10 em 10 oportunidades. Bruno Teles e João Alves foram o expoente máximo da desinspiração vitoriana. O lateral esquerdo anda a algumas jornadas a arrastar-se em campo e precisa de ir cheirar o banco ou mesmo a bancada para perceber que não é intocável. Já suspeitava que isto mais tarde ao mais cedo iria acontecer. O futebol lento do vitória fazia prever que quando apanhássemos uma equipa que joga em rotações elevadas que o descalabro iria acontecer. Levamos 3 poderiam ter sido muitos mais. Não ia escrever nada sobre o jogo, apenas colocar as declarações que Nilson fez à sporttv no final do jogo. “Assim não vamos ganhar muitos mais jogos”. Que sobretudo nos sirva de lição e que se aprenda que a jogar a 10 à hora vamos ter mais dissabores que alegrias. E vou-me ficar por aqui. Nem negativo, nem positivo para não desmoralizar demais as tropas e para não dar moral a um adversário que lá para Maio (espero eu) será um adversário directo.

À conquista dos Mouros… (Convocados)

Espera-se que amanhã se repita aquilo que se passou à cerca de 900 anos atrás. Tal e qual o exército de D. Afonso Henriques, temos que conquistar mais uma vez Lisboa aos Mouros. Mostrem fibra de conquistadores e lembrem-se que foi ali que um Vimaranense fez uma das mais importantes conquistas da nossa história. Honrem o símbolo que ostentam no peito e a figura histórica que ele contém. A história recente diz-nos que não é impossível. Difícil, mas não impossível.

O Benfica atravessa o melhor momento da temporada, por isso é necessária concentração máxima. Manuel Machado tentou surpreender o seu rival da luz, mas a pouca privacidade que oferece o nosso complexo abriu o jogo cá para fora. Mesmo assim a convocatória apresenta duas surpresas. A não inclusão de Douglas e de Freire são algo surpreendentes, ou talvez não. Dos golos que sofremos, Freire tem estado ligado a todos eles. Em relação ao Douglas, depois da polémica surgida com o Braga e a explicação algo confusa do jogador não era de admirar que mais tarde ou mais cedo a sua exclusão da convocatória acabaria por acontecer. Podem ver os 19 convocados para a batalha de Lisboa em baixo.

Convocados:

Guarda-redes: Nilson e Douglas J.

Defesas: Alex, N’Diaye, Ricardo, João Paulo e Bruno Teles

Médios: Cléber, Flávio, Renan, João Pedro, João Alves, João Ribeiro, Jorge Ribeiro e Rui Miguel

Avançados: Edgar, Faouzi, Toscano e Targino

 

“O mundo dos sonhos” Parte II

Parte II: Organograma e funções directivas

Na primeira parte desta pequena apresentação de ideias, propusemos vários objectivos que pretendemos atingir com este projecto. Após termos definido esses objectivos, teremos que organizar a instituição consoante aquilo que pensamos. Mais importante do que apresentar aqui um organograma é perceber como é que ele irá funcionar e o que é importante reter.

Para iniciarmos, pensamos na forma que o organigrama deveria ter. A estrutura actual comporta um organograma piramidal, com o seu presidente no topo da pirâmide e abaixo de si, 4 vice-presidentes (ver imagem).

Falando numa linguagem que se entenda, vamos explicar este tipo de organização no ponto de vista da nossa família. A organização em pirâmide pressupõe que no topo se encontra uma pessoa, que em termos familiares podemos comparar com o nosso pai. O pai por norma é aquele que controla tudo e nada se faz sem a sua autorização. Não quer dizer que na forma de organização que vamos apresentar o presidente não vá saber de tudo, simplesmente os diversos departamentos terão a sua autonomia para cumprirem os objectivos pré-definidos pela direcção. O presidente será visto mais como um irmão mais velho, um conselheiro. Serão traçadas as linhas gerais pela direcção e posteriormente o presidente proporcionará a todos aquilo que poderemos chamar de descoberta guiada. Será mais um da equipa e não um controlador. Por isso o organograma em pirâmide não faz sentido neste tipo de modelo que queremos implementar. Não queremos um topo, mas sim um centro. Por isso optamos por um organograma circular. Onde o líder é o centro (irmão mais velho) e todas as áreas que incorporam esse departamento rodeiam-no, formando um escudo impenetrável á sua volta e onde o centro é a ligação entre todas elas.

Definido o organograma, passamos ás áreas que o vão incorporar. Nos dias de hoje parece-me retrógrada uma instituição como o Vitória ter apenas 4 áreas na direcção. Um clube engloba muito mais que o futebol, o financeiro, as modalidades amadoras e o património. Nós propomos uma nova imagem para o clube e uma nova forma de organizar. Investigamos durante muito tempo clubes de top mundial e chegamos a uma conclusão que passamos agora a apresentar (ver imagem abaixo).

É um organograma totalmente diferente do que estamos habituados a ver e sobretudo com nomes totalmente distintos dos actuais. Mas muito rapidamente explica-se o porquê. Modernizar, inovar e acompanhar os dias de hoje. Um clube não se pode reger só pelo futebol. O futebol é o que nos dá mais visibilidade mas temos que ir arrecadar o maior lucro possível para posteriormente podermos ir de encontro aos nossos objectivos e investir onde podemos obter mais lucro. O futebol é o maior expoente deste exemplo. Mas porquê estas áreas e o que engloba cada uma.

A área dos desportos engloba o futebol profissional, o futebol formação, as modalidades ditas amadoras, o(s) representante(s) do clube na liga e federação e a área médica.

A área social engloba o departamento do associado, a comissão disciplinar do clube e o departamento de Marketing.

A área económica estratégica engloba o departamento financeiro, o património, o departamento jurídico, o departamento de instalações e segurança e o departamento de projecto.

O conselho vitoriano será eleito na mesma altura que a direcção clube, por listas a apresentar e será o representante dos associados na direcção.

Por fim a área institucional engloba o arquivo do clube, o departamento de comunicação e a gestão do museu.

Este organograma servirá também de modelo de comunicação no interior do clube. O modelo de comunicação, para quem não sabe, é como se comunica dentro do clube. Quem fala do quê e como a informação circula. “Cada macaco no seu galho” e cada um fala da sua área e transmite a quem de direito. Para isso basta seguir as setas e apenas falar com quem está ligado no organograma.

A partir de agora vamos entrar na fase mais profunda do projecto. Analisar cada uma das áreas, mostrar a sua organização e quais os projectos que temos para cada uma delas. Como já referi anteriormente é um trabalho enorme que demorará algum tempo a expor por completo, mas fazemos isto porque queremos ajudar a que este clube comece a olhar para o futuro, pense em grande e comece a acreditar que é possível. Só assim poderemos lá chegar.

Penso que este tipo de organização engloba tudo o que um clube precisa. Mas claro, este projecto, como qualquer outro que aspire a ser implementado, é perfeitamente mutável. Por isso espero que deixem as vossas opiniões para podermos tornar este clube maior do que o que ele já é. Só pensando no futuro e conquistando títulos é que chegaremos lá.